Com lotação de quase 100% na UTI, HGP tem pacientes em corredores e reclamações por demora de exames e cirurgias

0
14
com-lotacao-de-quase-100%-na-uti,-hgp-tem-pacientes-em-corredores-e-reclamacoes-por-demora-de-exames-e-cirurgias
Com lotação de quase 100% na UTI, HGP tem pacientes em corredores e reclamações por demora de exames e cirurgias

“Tem três semanas que eles estão providenciando e a gente está esperando. É um exame de colangioressonância. É difícil, porque a gente fica esperando, esperando e vendo o filho da gente naquela situação. Não é fácil não”, disse

Na madrugada de quinta-feira (13), vídeos gravados dentro do HGP mostram um dos corredores do hospital lotado. Pacientes foram colocados em cima de camas improvisadas. Alguns ainda estavam em macas geralmente usadas para transporte de pacientes.

De tanto esperar por uma cirurgia para retirada de um aneurisma, a cuidadora Maria Conceição Barbosa acabou sendo liberada, mas sem fazer o procedimento.

“Nas duas primeiras vezes que fui preparada para fazer o procedimento, no final do dia a equipe vinha e avisava que estava suspenso devido à falta de UTI. Sempre acontecia de chegar uma emergência, que a gente entende e eu respeito, e essa vaga era preenchida. Na primeira vez que fui preparada, me falaram que tinha sido um equívoco da regulação e a outra foi por falta de material”, explicou.

Pacientes internados nos corredores do HGP — Foto: Divulgação

A situação deixa a cuidadora apreensiva. “Triste, vamos dizer assim, preocupada porque você entra com uma bomba na mão e você sai com ela maior ainda. É um sentimento de revolta”, reclamou Maria Conceição, ressaltando que em uma das ocasiões, o neurocirurgião que a atendeu explicou que havi sido suspensa a entrega de materiais e não tinha data prevista para chegada.

Além dos problemas das pacientes, há reclamações sobre a demora para a realização de exames, falta de material e ocupação das UTIs para adultos acima de 90%.

Até a manhã desta sexta-feira (14) sistema do Integra Saúde mostrava 96% das UTIs para adultos do HGP ocupadas. Apenas duas vagas estavam disponíveis no maior hospital público do Tocantins. Já as UTIs pediátricas do hospital estavam com 100% de ocupação.

A cuidadora Maria Conceição Barbosa espera por procedimento há quase dois meses — Foto: Divulgação

O que diz a SES

Em nota a Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que o filho de Mayane vai fazer o exame mencionado no dia 23 de junho, e que as equipes levaram em consideração o quadro clínico da criança.

Sobre o caso de Maria da Conceição, ela recebeu alta após ter melhora no caso clínico e que o procedimento será agendado nos próximos dias.

Quanto à falta de leitos na unidade, a pasta explicou que tem trabalhado desde outubro de 2021, para ampliar a oferta para ampliar a oferta e que já foram entregues mais de 60 leitos de pronto-socorro, 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e melhorias em outros setores.

Veja nota da SES na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) informa que o paciente J. M. C. R segue internado no Hospital Geral de Palmas (HGP) sob os cuidados da equipe multiprofissional e que o exame mencionado será realizado no dia 23, conforme a oferta na rede e levando em consideração a avaliação do seu quadro clínico.

Sobre a paciente Maria da Conceição Barbosa, a SES-TO informa que ela esteve sob os cuidados da equipe do HGP e teve alta hospitalar após apresentar melhora no seu quadro clínico, sendo o seu procedimento eletivo agendado para acontecer nos próximos dias e a unidade hospitalar a contatará para o agendamento.

Sobre a demanda de leitos no HGP, a Pasta destaca que tem trabalhado desde outubro de 2021, para ampliar a oferta para ampliar a oferta. Já foram entregues mais de 60 leitos de pronto-socorro, mais de 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), entrega da Unidade de Assistência de Alta complexidade em Oncologia (Unacon) e agora trabalha para a abertura de 25 leitos, sendo 10 para cuidados intensivos, destinados para o pós-operatório de cirurgias de grande porte, como torácicas, oncológicas, cardíacas e neurocirurgias e 15 leitos de retaguarda cirúrgica, que serão abertos até o início de julho.

Por fim, a SES-TO pontua que trabalha ininterruptamente para reduzir as filas por cirurgias eletivas já tendo realizado mais de 7,9 mil procedimentos apenas em 2024.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui