Pai descobre que filha era mantida em cárcere privado, vai à polícia e ex-companheiro dela é preso

0
16
pai-descobre-que-filha-era-mantida-em-carcere-privado,-vai-a-policia-e-ex-companheiro-dela-e-preso
Pai descobre que filha era mantida em cárcere privado, vai à polícia e ex-companheiro dela é preso

Quando os policiais chegaram ao local, em Paranã, encontraram vítima com diversos hematomas. Suspeito tem 18 anos e não aceitou fim do relacionamento, segundo a Polícia Civil.


Caso aconteceu em Paranã, no sudeste do Tocantins — Foto: Divulgação/Prefeitura de Paranã

Uma mulher de 20 anos estava sendo mantida trancada dentro de casa pelo ex-companheiro e foi resgatada depois que o pai dela foi à polícia. O caso aconteceu em Paranã, no sudeste do estado.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito, de 18 anos, teria agredido a mulher no fim de semana e a prendeu na casa. O pai procurou pela filha e descobriu que o ex-companheiro dela estava a mantendo na casa onde eles moravam.

O suspeito foi preso em flagrante pelos crimes de lesão corporal, no contexto de violência doméstica, e também pelo cárcere privado. Como o nome dele não foi informado, o g1 não conseguiu contato da defesa.

Por volta das 10h desta segunda-feira (10), os policiais foram até o endereço informado pelo pai e conseguiram resgatar a vítima. Ela tinha diversos ferimentos e hematomas pelo corpo, resultado da agressão que sofreu.

A polícia descobriu que o casal havia se separado, mas o suspeito não aceitou o fim do relacionamento. Ela tinha voltado para a casa dos pais, mas ele conseguiu a prender no fim de semana, segundo a vítima relatou em depoimento.

“Na última sexta-feira, cansada das ameaças, a mulher saiu da residência dos pais em direção à delegacia, justamente para registrar um Boletim de Ocorrência, momento em que o suspeito a interceptou, a puxou pelo braço e a levou a força para a residência em que eles moraram juntos e que a encontramos”, disse o delegado Wladmir Bezerra de Oliveira, responsável pelo caso.

O homem foi preso em flagrante e levado para a 15ª Central de Atendimento de Arraias. Depois dos procedimentos na delegacia, seguiu para a Unidade Penal Regional Local, e está à disposição do Poder Judiciário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui