Tempestades matam 1 pessoa e causam danos em 29 cidades do Rio Grande do Sul

0
34
tempestades-matam-1-pessoa-e-causam-danos-em-29-cidades-do-rio-grande-do-sul
Tempestades matam 1 pessoa e causam danos em 29 cidades do Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, em apenas uma hora, choveu quase toda a média prevista para janeiro: 76 mm, ante 110 mm esperados para todo o mês.

Depois de um fim de semana de chuvas intensas na região metropolitana do Rio, na 3ª feira (16/1) foi a vez do Rio Grande do Sul sofrer com temporais. As tempestades causaram alagamentos, ventos de mais de 100 km/h e inundações. Uma pessoa morreu em Cachoeirinha, região metropolitana de Porto Alegre. Ao menos 29 cidades gaúchas registraram danos por causa das precipitações, que ainda deixaram quase 580 mil pessoas sem energia elétrica em cinco regiões gaúchas.

Um homem, cujo nome e idade não foram divulgados, foi atingido pela marquise de um supermercado que caiu devido à força dos ventos que atingiram Cachoeirinha no fim da noite de terça. Segundo a Defesa Civil do município, a vítima era uma pessoa em situação de rua, informa a Agência Brasil.

Em Porto Alegre, em apenas uma hora, choveu o equivalente a mais da metade da média prevista para janeiro. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), a precipitação atingiu 76 mm, quando eram esperados 110 mm para todo o mês. O vento chegou a 89 km/h na região do Aeroporto Salgado Filho.

O prefeito da capital gaúcha, Sebastião Melo, decretou emergência na cidade devido aos danos causados pelas fortes chuvas, relata a CNN. Cerca de 150 árvores caíram com a força do vento, hospitais ficaram inundados, ruas foram interditadas, o abastecimento de água foi afetado, e os bombeiros tiveram de atuar para resgatar pessoas ilhadas.

Segundo o Climatempo, uma área de baixa pressão atmosférica – que antecede a formação de um ciclone extratropical sobre o Oceano Atlântico, prevista para ocorrer nesta 6ª feira (19/1) – ameaçava provocar fortes rajadas de vento já na quinta, especialmente no Litoral Norte e no Norte gaúcho.

Esse ciclone também pode levar chuvas para outras regiões do país. O fenômeno deve formar uma frente fria, que vai avançar em direção ao Sudeste. Por isso, destaca a Exame, as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro poderão ser atingidas por temporais no fim de semana.

As chuvas no Rio Grande do Sul foram noticiadas também por Poder 360, Folha, CNN, Band, Exame e g1.

Em tempo 1: Um estudo inédito da Casa Civil e do Ministério das Cidades obtido pel’O Globo aponta que 1.942 municípios – 34% de todas as cidades do país – têm parte da população em regiões suscetíveis a deslizamentos, enxurradas e enchentes. A quantidade é 136% maior do que a identificada em um levantamento de 2012 pela Casa Civil. O estudo atual, que aborda mais variáveis, apontou que hoje há 8,9 milhões de pessoas morando nesses locais de maior vulnerabilidade. O mapa de risco atual incluiu dados de fontes como o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), o Serviço Geológico do Brasil e o Atlas de Vulnerabilidade a Inundações, produzido pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Em tempo 2: O governo do estado do Rio de Janeiro atualizou o balanço parcial de pessoas afetadas pelas fortes chuvas do fim de semana. Segundo as últimas informações, há mais de 12 mil pessoas desalojadas, mais de 300 desabrigadas e quase 48 mil afetadas, informa o g1. Os números se referem principalmente a municípios da Baixada Fluminense, na região metropolitana da cidade do Rio. Ainda de acordo com o g1, a Polícia Civil investigava se a morte de José Pedro Silva de Oliveira, de 63 anos, cujo corpo foi encontrado no Rio Acari, na Zona Norte do Rio, tinha relação com as chuvas. Se confirmada, será a 13ª morte provocada pelos temporais do fim de semana passado.

Em tempo 3: Rio 60 graus, de novo. As elevadas temperaturas na cidade levaram três bairros a registrarem sensação térmica acima de 50ºC na 4ª feira (17/1). Segundo o Alerta Rio, a mais alta foi registrada em Guaratiba, com 59,5ºC às 11h45. As outras duas foram em Santa Cruz, com 52ºC, e na Barra da Tijuca e no centro da cidade, com 50,7ºC, informam O Globo, Poder 360 e Metrópoles. Guaratiba também foi o bairro com a maior temperatura máxima na cidade neste verão até o momento: 41,8ºC.

ClimaInfo, 19 de janeiro de 2024.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui