Mãe diz que ofereceu rins para tentar salvar filho, morto após complicações da doença de Crohn: ‘Lutamos por 17 anos’

0
30
mae-diz-que-ofereceu-rins-para-tentar-salvar-filho,-morto-apos-complicacoes-da-doenca-de-crohn:-‘lutamos-por-17-anos’
Mãe diz que ofereceu rins para tentar salvar filho, morto após complicações da doença de Crohn: ‘Lutamos por 17 anos’

Sueile Matos da Silva estava com o filho, o servidor público, Iago Matos Silva, nos últimos momentos de vida. O jovem morreu no último domingo (17), aos 32 anos, por causa da doença de Crohn. Ao g1, a mulher contou que ele passou por uma cirurgia para retirar grande parte do intestino, mas acabou sofrendo infecção em outros órgãos. Na última hora, a mãe lembra que chegou a oferecer os próprios rins para tentar salvar o filho, mas não havia mais recursos.

“Os rins dele estavam parando e eu perguntei ao médico: ‘Não tem possibilidade de pegar os meus e dar para ele?’. O médico disse: ‘Isso não vem ao caso’. Foram dias difíceis na minha vida. Eu sempre dizia que a última palavra vinha de Deus. Mas ele se foi. Lutamos por 17 anos, nunca deixei ele ir sozinho. Eu sempre dando forças”, disse em lágrimas, durante entrevista ao g1.

Jovem que morreu em tratamento contra a doença de Crohn gostava de viajar

Jovem que morreu em tratamento contra a doença de Crohn gostava de viajar

Iago atuou na Diretoria de Comissões da Câmara Municipal de Palmas. O último trabalho foi como servidor contratado da Secretaria Estadual da Educação.

Ele foi diagnosticado com a Doença de Crohn aos 17 anos. Trata-se de uma doença inflamatória do trato gastrointestinal. Ela afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado e intestino grosso, mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal. A doença é crônica e provavelmente provocada por desregulação do sistema imunológico, ou seja, do sistema de defesa do organismo.

Iago Matos morreu aos 32 anos, em Palmas — Foto: Arquivo Pessoal

A luta de Iago começou quando ele tinha 15 anos. A princípio, se pensava que ele tinha apenas uma úlcera. Na época, o jovem passou pela primeira cirurgia e tirou parte do intestino. Aos 17 anos, veio o diagnóstico da doença, que a família sequer conhecia. De lá para cá, foram anos de desafios e sofrimento.

“Ele tinha crises fortes, dores, diarreia, vômito, cólica e perda de peso. Fez várias cirurgias. Ele tinha muita força de vontade de viver. Ele me dizia: ‘Eu vou viver minha vida, aproveitar, porque eu não sei quanto tempo eu vou ficar’”.

Segundo a mãe, neste ano, o filho enfrentou outra crise forte. Em julho, Iago chegou a perder 16 kg. Havia a necessidade de fazer a quarta cirurgia. A mãe diz que procurou o sistema público de saúde e insistiu para que o filho recebesse o tratamento.

“Eu tentei salvar o meu filho. Fomos para o HGP, marcamos a cirurgia. Ele chegou a tomar morfina e ficamos esperando em Deus. No dia 18 de outubro consultamos com a médica, ela disse que a cirurgia era grave, de risco. O procedimento foi agendado para 19 de novembro, eu nunca vou esquecer essa data”, relembrou a dona Sueile.

A cirurgia foi realizada e Iago ficou com apenas 1,5 m de intestino. O quadro de saúde do jovem se agravou. O pulmão e os rins foram comprometidos. Ele foi entubado e não resistiu.

“Meu filho estava cansado, mas eu estava firme e forte para dar forças a ele. Eu falava que era mais um deserto. Nós atravessamos tantos desertos e vencemos. Mas meu filho descansou, se entregou a Jesus. Meu coração está sangrando, mas meu conforto é saber que ele está nos braços do pai”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui