“Dormindo com o inimigo”: OPEP na COP28 faz ofensiva publicitária em prol de combustíveis fósseis

0
31
“dormindo-com-o-inimigo”:-opep-na-cop28-faz-ofensiva-publicitaria-em-prol-de-combustiveis-fosseis
“Dormindo com o inimigo”: OPEP na COP28 faz ofensiva publicitária em prol de combustíveis fósseis

Pela 1ª vez presente em uma COP climática, o cartel de países produtores de petróleo aproveitou a oportunidade para defender a indústria de combustíveis fósseis.

Na COP que discute o futuro dos combustíveis fósseis, os produtores dessa fonte de energia tentam vencer a ciência e a pressão dos países mais vulneráveis e de ativistas climáticos para manter as coisas do jeito que estão – uma economia global altamente dependente de petróleo, gás e carvão. 

Pela 1ª vez, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) contou com pavilhão próprio em uma Conferência do Clima a convite feito pelo presidente da COP28, Sultan Al-Jaber, para que a indústria petroleira estivesse presente nas negociações de Dubai.

Sem um pingo de vergonha, o cartel petrolífero fez a festa. Além de pressionar seus membros para barrar qualquer esforço para que eliminação (phase out) dos combustíveis fósseis constasse no texto da COP, o grupo também realizou eventos paralelos que destacaram o “lado positivo” da indústria petroleira.

Um dos eventos, relatado pela Reuters, mirou o público jovem presente na COP. O secretário-geral da OPEP, Haitham Al-Ghais, argumentou que os combustíveis fósseis seguirão sendo fundamentais para a economia global no futuro por conta do crescimento populacional e dos “altos custos” das fontes renováveis.

Em paralelo, os ministros de energia da região árabe se reuniram no vizinho Catar na última 2ª feira (11/12) para defender os interesses da indústria petroleira com um argumento na ponta da língua – ao invés de abandonar a produção de petróleo, o mundo precisa ampliá-la. “O Kuwait trabalha de acordo com uma política baseada na preservação das fontes de riqueza petrolífera e na sua exploração e desenvolvimento”, disse o ministro do petróleo do país, Saad Al-Barrak, citado pela Reuters. A Exame também abordou a notícia.

A presença maciça da indústria petroleira incomodou grupos ativistas, representantes da juventude e lideranças indígenas na COP28. “Os Povos da Floresta estão aqui em peso, mas não se sentam à mesa de decisão. Os negociadores são outros. Essa COP tem dono”, lamentou Ivoneide Cardozo, da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé, de Rondônia, à Folha.

Em tempo: Além da indústria dos combustíveis fósseis, a presença de negacionistas da crise climática na COP28 também chamou a atenção. De acordo com a Corporate Accountability, citada pelo Guardian, pelo menos 166 participantes credenciados da COP são de grupos industriais, entidades setoriais e agências de relações públicas com histórico de negação climática. “É obsceno que as organizações que negam o clima e as agências de relações públicas da indústria fóssil sejam bem-vindas nestas negociações para distorcer e mentir”, criticou David Tong, da Oil Change International.

ClimaInfo, 13 de dezembro de 2023.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.

Você também pode se interessar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui