Suspeito de agredir mulher com chutes, socos e correr atrás dela com uma machadinha é preso

0
30
suspeito-de-agredir-mulher-com-chutes,-socos-e-correr-atras-dela-com-uma-machadinha-e-preso
Suspeito de agredir mulher com chutes, socos e correr atrás dela com uma machadinha é preso

Agressões aconteceram na frente dos filhos do casal, em Lagoa do Tocantins. Ele foi desarmado por populares e a mulher precisou ser internada no HGP.


Suspeito foi preso nesta quarta-feira (6) — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Um homem de 33 anos foi preso por suspeita de tentativa de feminicídio ocorrido em Lagoa do Tocantins, na região central do estado. Ele teria agredido a esposa com chutes, socos, a feriu na cabeça com uma machadinha e a ameaçou com uma espingarda, mas foi desarmado por populares.

O caso aconteceu no dia 24 de novembro deste ano. A Polícia Civil descobriu que as agressões começaram durante uma discussão do casal. Os policiais conseguiram colher depoimento da vítima quanto ela estava internada no Hospital Geral de Palmas (HGP) para onde foi levada por causa dos ferimentos.

Após receber chutes e socos, a mulher conseguiu escapar do marido e correu para a rua. Nesse momento ele pegou a machadinha e perseguiu a esposa, conseguindo acertá-la na cabeça. Como ela caiu no chão, pessoas que estavam ao redor acabaram desarmando o suspeito.

Não satisfeito com a situação, o homem teria ido à casa onde morava com a família, pegou uma espingarda e foi até a casa do patrão da vítima, onde ela estava escondida. Mais uma vez ele foi desarmado e fugiu do local.

A polícia o encontrou nesta quarta-feira (6) e cumpriu mandado de prisão representado pelo delegado Fabrício Piassi e expedido pela Justiça. Na delegacia de Novo Acordo, ele alegou que atacou a mulher porque acreditava que havia sido traído por ela.

Depois de prestar depoimento, ele foi levado para a Unidade Penal Regional de Palmas e está à disposição do Poder Judiciário. “A prisão dele foi o único meio possível para que a vítima, que sofreu inúmeras agressões não só físicas mas também psicológicas, não fosse mais uma vítima fatal no contexto de violência doméstica”, disse o policial.

Deseja receber as notícias mais importantes em tempo real? Ative as notificações do G1!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui