Prefeita afastada por suspeita de fraude na locação de carros nega acusações na saída de delegacia:

0
40
prefeita-afastada-por-suspeita-de-fraude-na-locacao-de-carros-nega-acusacoes-na-saida-de-delegacia:
Prefeita afastada por suspeita de fraude na locação de carros nega acusações na saída de delegacia:

Na saída da delegacia a prefeita foi abordada pela repórter Ana Paula Rehbein, da TV Anhanguera. Ela não quis gravar entrevista, mas negou as acusações: ‘Não procede’.

A investigação da Polícia Civil apura contratos da Prefeitura de Caseara com uma locadora de veículos, entre 2017 e 2020. Segundo a polícia, mais de R$ 23 milhões foram movimentados e há indícios de fraude em licitação, superfaturamento e lavagem de dinheiro, entre outros crimes.

Momento em que a prefeita Ildislene Santana (DEM) deixa a prefeita — Foto: Ana Paula Rehbein/Tv Anhanguera

Durante a manhã foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão, 15 ordens de afastamento de função pública e 20 medidas cautelares, além do recolhimento de fiança totalizando R$ 1,64 milhão.

  • Ildislene Santana (DEM) – prefeita
  • Francisco Neto (PTB) – Vice-prefeito
  • Cleber Pinto Cavalcante (DEM) – presidente da câmara
  • Secretários e servidores públicos

O advogado do presidente da Câmara informou que busca habilitação no processo e vai recorrer do afastamento. O g1 não conseguiu contato com a empresa investigada e o vice-prefeito.

A operação, chamada de Najas, investiga um suposto esquema de corrupção na locação de veículos entre 2017 e 2020.

A polícia acredita que locadora de veículos sequer existia fisicamente, se tratando de uma empresa fictícia. A investigação apontou no endereço da empresa em Palmas, na verdade, funciona uma açaiteria.

São investigados os crimes de fraude em licitações, desvio de recursos públicos, organização criminosa, lavagem de capitais, falsidade ideológica, e demais crimes contra a administração pública. Veja como o esquema supostamente funcionava.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que foram encontradas armas e munições na casa de secretários e da própria prefeita. A advogada de Ildislene Santana disse que a prefeita não tinha armas em casa, apenas munições.

Prefeitura de Caseara foi alvo da Polícia Civil — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O que dizem os citados

Nota da prefeita Ildislene Santana

Sobre a operação da Policia Civil, ocorrida em Caseara na data de hoje, 05/12/2023, a defesa da Prefeita Ildislene Santana, vem a público informar:

1- Que não teve, até a presente momento, acesso aos autos do inquérito, cuja habilitação já foi solicitada ao Gabinete do Desembargador Pedro Nelson;

2- Não houve prisão ou detenção da Prefeita pelos fatos do inquérito. A prefeita já foi ouvida na Delegacia de Paraiso e liberada para retornar a Caseara, prestando os esclarecimentos necessários.

3- A defesa, neste momento, aguarda a habilitação no processo, e intervirá contra a decisão de afastamento, por meio dos recursos cabíveis.

4- Sobre a empresa de locação de veículos, o processo de licitação finalizou em 2020, e desde então, não há mais nenhum contrato em vigência, nem mesmo qualquer pagamento a empresa.

5- Por hora, neste momento, são os esclarecimentos que repassamos a imprensa, diante das parcas informações que obtivemos.

O que diz o presidente da Câmara de Vereadores

Sobre a operação da Policia Civil, ocorrida em Caseara na data de hoje, 05/12/2023, a defesa do Vereador e Presidente da Câmara Municipal, vem a público informar:

1- Que não teve, até a presente momento, acesso aos autos do inquérito, cuja habilitação já foi solicitada ao Gabinete do Desembargador Pedro Nelson;

2- Com relação ao Presidente Cleber, houve somente uma medida de busca e apreensão, já cumprida, e sem qualquer ligação com a Câmara de Vereadores.

3- A defesa, neste momento, aguarda a habilitação no processo, e intervirá contra a decisão de afastamento, por meio dos recursos cabíveis.

5- Por hora, neste momento, são os esclarecimentos que repassamos a imprensa, diante das parcas informações que obtivemos.

Nota da Prefeitura de Caseara

A Prefeitura de Caseara, por meio da sua procuradoria jurídica, vem por meio desta nota, esclarecer sobre a operação da Polícia Civil ocorrida na manhã desta terça-feira (5), que determinou o afastamento temporário da prefeita Ildislene, do vice Didi e dos secretários municipais.

Informamos a população que não houve nenhuma prisão decorrente da investigação que ocorre, nem mesmo detenção da prefeita ou de qualquer secretário, sendo essa informação inverídica. Todos foram dirigidos até a delegacia para prestar esclarecimentos aos fatos.

O processo em referência é do ano de 2017 e a empresa não possui contratos em vigência com a prefeitura desde o ano de 2020. Estamos contribuindo com a Polícia Civil, apresentando esclarecimentos e documentos, bem como a posse dos processos de licitação. A defesa da prefeita e dos secretários ainda não teve acesso à decisão nem mesmo aos autos do inquérito, pois sabemos que não há nenhuma ilicitude praticada pela gestão da prefeita Ildislene e de seus secretários.

A prefeita já está apresentando os devidos esclarecimentos à polícia. Confiamos na Justiça e estamos à disposição para esclarecer todos os fatos que se fizerem necessários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui