Sete em cada 10 brasileiros já vivenciaram um evento climático extremo

0
37
sete-em-cada-10-brasileiros-ja-vivenciaram-um-evento-climatico-extremo
Sete em cada 10 brasileiros já vivenciaram um evento climático extremo

Entre os episódios mais citados estão chuvas muito fortes; seca e escassez de água; alagamentos, inundações e enchentes; e temperaturas extremas, entre outros eventos.

Uma pesquisa inédita feita pelo Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica (Ipec) a pedido do Instituto Pólis revela que 7 em cada 10 brasileiros já vivenciaram ao menos um evento extremo ligado às mudanças climáticas. Entre os episódios sofridos mais citados pelos entrevistados estão chuvas muito fortes (20%), seca e escassez de água (20%), alagamentos, inundações e enchentes (18%), temperaturas extremas (10%), apagão (7%), ciclones e tempestades de vento (6%) e queimadas e incêndios (5%).

O levantamento mostra que as temperaturas extremas, seja muito frio ou muito calor, são as ocorrências mais associadas pela população (44%) à crise climática, explica Monica Bergamo na Folha. Em termos práticos, porém, a falta de água e a seca são os que mais preocupam, apontados por 34%.

Na sequência são citados temores em relação a alagamento, inundação e enchente (23%), incêndios e queimadas (18%) e chuva forte (17%). A preocupação com o advento do calor ou do frio extremo surge em quinto lugar, sendo temido por 16% dos entrevistados.

A pesquisa também mostra que a maior incidência de certos eventos por região do país, ou seu impacto desproporcional sobre alguns grupos sociais, faz com que o grau de alerta e preocupação varie, explica a CNN. Assim, ciclones e tempestades de vento preocupam proporcionalmente mais a população da região Sul, com 29%, frente à média nacional de 13%. Já alagamentos, inundações e enchentes, que preocupam 23% nacionalmente, são mais temidas entre as classes D e E (25%) do que entre as classes A e B (19%).

A pesquisa também questionou a percepção das pessoas sobre fontes de energia. Os entrevistados afirmam que o petróleo (73%), o carvão mineral (72%) e o gás fóssil (67%) são as categorias que mais contribuem para o agravamento das mudanças climáticas. E 84% dizem se preocupar com o futuro e apoiar o investimento nas fontes renováveis de energia. Para 57%, a energia solar deveria ser priorizada em termos de investimentos públicos. Fontes hídricas (14%) e a eólicas (13%) são citadas na sequência.

ClimaInfo, 5 de dezembro de 2023.

Clique aqui para receber em seu e-mail a Newsletter diária completa do ClimaInfo.

Você também pode se interessar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui