Unidade católica de apoio a dependentes químicos e viciados é inaugurada no AP

0
28
unidade-catolica-de-apoio-a-dependentes-quimicos-e-viciados-e-inaugurada-no-ap
Unidade católica de apoio a dependentes químicos e viciados é inaugurada no AP

O primeiro espaço no estado está localizado num ramal com acesso pela Rodovia AP-010, na Zona Rural de Macapá. A fazenda conta com alojamentos, áreas de convivência e salas para orientação. O apoio aos pacientes será feito por voluntários e ex-dependentes da Fazenda.

O espaço inicial poderá atender até seis pessoas simultâneamente, mas a área vai aumentar nos próximos meses. A adesão ao tratamento é pessoal e a Fazenda recebe as pessoas que se dispuserem a ser cuidadas. Elas devem escrever uma carta de próprio punho solicitando ajuda.

Missa marcou inauguração do espaço para atendimento terapêutico — Foto: John Pacheco/G1

Além dos dependentes de álcool e drogas químicas, a unidade recebe também pessoas que sofrem de outros vícios, como jogos e compulsão.

“Nossa metodologia é amar e através do amor, a palavra e o respeito, a gente consegue fazer homens novos. Tentamos mudar o conceito porque o jovem está destruído, abalado e através da humildade conseguimos trazer essas pessoas de volta”, disse Marco Antônio Alves, ex-dependente e responsável pela Fazenda no estado.

Marco Antônio Alves, ex-dependente e responsável pela Fazenda no Amapá — Foto: John Pacheco/G1

Além da missa, o lançamento contou com venda de doces, biscoitos e acesssórios com o objetivo de arrecadar fundos para a manutenção inicial do espaço. A proposta da Fazenda da Esperança é o autosustento, com os voluntários e dependentes produzindo tudo que for consumido.

“Teremos aqui no espaço, padaria, horta, animais, cultivo, campo. São várias atividades, o jovem cozinha, limpa, se distrai, e claro, tem os momentos de convivência e diversão. A ideia é estar sempre junto com eles”, completou Alves, destacando que o local atenderá apenas homens.

Produtos foram vendidos para arrecadar recursos para a Fazenda — Foto: John Pacheco/G1

A comunidade terapêutica no Amapá faz parte de uma rede que está em 137 unidades espalhadas por 22 países, onde experiências são compartilhadas e pacientes tornam-se voluntários, como no caso do estrangeiro Ângelo Gonçalves, de Cabo Verde na África.

Dependente de maconha e outras drogas, ele foi recrutado para atravessar o Oceano Atlântico e dar continuidade ao tratamento de um ano no Amapá. Ao fim dos 12 meses, ele pretende continuar ajudando outras pessoas a se livrarem do mesmo vício que destruiu suas oportunidades, como emprego e família.

“A Fazenda da Esperança tem tudo para dar certo aqui, porque já deu certo em Cabo Verde. Foi recrutado e compreendi que os dependentes são tratados como humanos e percebi que melhorei bastante em termos de comportamentos e atitudes”, completou Gonçalves.

Ângelo Gonçalves veio de Cabo Verde, na África, para terminar tratamento no Amapá — Foto: John Pacheco/G1

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui